“Eu não dou bola pra hater”, afirma Didi Wagner sobre canal no YouTube

Há pouquíssimo tempo na prateleira de variedades do YouTube, Didi Wagner está se dedicando aos vídeos com trocadilhos com seu nome (algo que adora): didivã, didicas, didiva, didivagando, didilemas. “Me sinto uma estagiária, uma principiante”, ri. Mas a estrutura que usa para gravar seu conteúdo é semelhante à de uma produtora de TV. “Comecei assumindo a minha incapacidade de ser uma youtuber autônoma. Eu tenho a escola da televisão e lá tudo tem uma equipe”.

Fotos: Divulgação

Ela ri, dizendo que dá graças a Deus que os vídeos não são ao vivo. “Essa nova plataforma de pessoas que conseguem administrar tudo por conta própria e fazerem tudo de maneira independente é uma coisa que, pra mim, um é universo a ser desbravado. Então, eu preferi chamar gente que entende de luz, câmera e áudio para embarcar comigo nessa”. No canal, ela deixa o cargo de apresentadora para interpretar a si mesma. “Esse feedback instantâneo é incrível. Você posta e alguns minutos depois já acumula comentários. No geral, tenho recebido comentários positivos. Eu não dou bola pra hater porque sempre acho uma critica rasa”.

Está no ar a nova temporada de “Lugar Incomum”, no Multishow. Nos novos episódios, Didi Wagner desbrava locações inóspitas da República Tcheca. “Eu sou muito grata pelo trabalho que tenho. Eu acho um baita de um privilégio, é um dos empregos mais legais que eu imagino que existam, porque eu adoro viajar, então sou muito sortuda por ter esse programa que envolve viagens em lugares tão legais do mundo, mas não deixa de ser trabalho”, explica aos “invejosos” de plantão. Ela é a convidada do programa de número 57 nesta terceira temporada do Aos Cubos.

Ao lembrar dos tempos de MTV, fez um esclarecimento: “eu não odeio quando falam que eu formei uma geração e tal, só fico me sentindo um pouco antiga quando me falam: nossa, eu era muito teu fã quando era criancinha e é marmanjo de trinta e tantos anos”, ri. “Fico muito feliz de saber que muita gente assistia a MTV e gostava dos meus programas”.

Além do programa de viagens, ela também está no time de cobertura de grandes festivais do Multishow. “É uma experiência incrível, também é muito intensa e tensa. Eu me divirto, gosto, acho um privilégio, uma vivência musical muito rica, mas tem uma carga de tensão imensa porque é tudo feito ao vivo. E é muita responsabilidade. A gente tem que passar a informação no ar, tem que falar inglês e traduzir para o português, lembrar dos nomes dos cantores, dos álbuns e sei lá mais o que. Por mais que eu me prepare e estude, fico bem apreensiva em alguns momentos porque são muitas variáveis”. Ela relembra um episódio em que quase reviveu o meme do Sanduíche-iche, de Ruth Lemos.

TEM MAIS
No Top ou Flop, André Aloi, Juh de Oliveira e Victor Albuquerque discorrem sobre MET Gala, a paz mundial entre Katy Perry e Taylor Swift, a volta de Dua Lipa ao Brasil, além do novembro mágico dos shows: Lorde, Demi Lovato e Janie Birkin. Ainda tem a convidada no Atenta!, indicando o livro “Amiga Genial”, de Helena Ferrantes, e o documentário “Wild Wild Country”, da Netflix, que trata sobre o surgimento dos ensinamentos místicos de Osho. Ela também fala de sua relação com as filhas Laura, Luiza e Julia, e participa da batalha musical, chamada “Songclash” e Checklist com países visitados por Didi. Play!

Talvez você também goste...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *