Jennifer Lopez embala com swing latino, mas corta românticas em SP

Jennifer Lopez se apresentou em São Paulo sábado (23), e mostrou todo seu swing latino, consagrando-se a “popozuda” da noite paulista do Pop Music Festival – que teve ainda Kelly Clarkson, Cobra Starship e Michel Teló, além da estreia da socialite Paris Hilton como DJ. Esbanjando simpatia ao tentar falar português e sambar, foi conquistando o público com coreografias elaboradas, que valorizavam suas curvas. A cantora pecou ao deixar as românticas “I’m Glad” e “If You Had My Love” de fora do setlist.

Apesar de o som estar estável e o microfone totalmente audível durante quase toda a performance, na quinta canção, “Waiting For Tonight”, ruídos puderam ser ouvidos, mas nada que afetasse o desempenho de J-Lo no palco. Na primeira música, com um headset, pintou a dúvida de que poderia ser lip-sync (movimento de lábios de playback, dublagem), mas da segunda música em diante, quando estava com microfone em mãos, ela ao menos tentava cantar ao vivo.

Dividido em cinco partes, o show começou atrasado, às 23h23, com um vídeo de “Never Gonna Give Up”, que foi logo emendado a uma dança em que a cantora apareceu com uma roupa cor de pele coberta por pedras preciosas que se assemelhavam diamantes (esse body já foi usado por ela mesma em outras ocasiões, e também Britney Spears e Katy Perry). Ainda na onda do luxo, em “Love Don’t Costa a Thing“, cifrões, diamantes, champagne e um apanhado de outros artigos eram exibidos no telão.

Teve ainda uma passagem pelo Bronx (bairro de Nova York onde J-Lo se criou), quando foi montado no palco um ringue de boxe para “Going in“, além de ruas do bairro para “Jenny From The Block, com direito a dançarinos carregando uma espécie de Moving Sound Bazooka – aquele rádio “próprio” para ser carregado no ombro. O penúltimo bloco temático era uma apresentação de soul & funk, cujo telão estampava a fachada de um teatro com um painel brilhante. Por fim, a consagração do show em pista de dança. No bis, dividiu as atenções com o namorado, Casper Smart, ao dançar a última música, “Dance Again“, na beirada da extensão do palco.

As primeiras palavras ditas à plateia foram, na verdade, um pedido logo no início do show: “pode gritar, Brasil”. Depois, voltou a falar com o público entre a terceira e quarta músicas: “São Paulo, meu Deus. Como estão vocês? Estão tendo uma ótima noite? Muito obrigada (por estarem aqui)! Quero falar com vocês. Estão dispostos a cantar comigo esta noite? Não há lugar no mundo como o Brasil”, elogiou. Lá pela sétima música, na troca de atos, falou: “Amo vocês”, disse em portunhol (?). Foi quando o público começou a berrar “popozuda” e pediu para ela dar uma sambada. Afinal, em sua última passagem pelo Brasil, ela veio “sapucar”. Jennifer então ensaiou uns passinhos da dança, e disse que “poderia aprender a sambar”.

Voltando a falar sobre o ato do show que foi cortado, e Jennifer apresentou no Panamá na estreia da turnê latino-americana, estavam as músicas: “Starting Over, I’m Glad, Secretly (Video Interlude)”, If You Had My Love (versão acústica), Until It Beats No More e Que Hicíste”. Senti falta ainda dos singles “Play”, “I’m Gonna Be Alright” e “Hold You Down”. Para encerrar, queria comentar do excesso de brilho, que por vezes soava brega. Teve uma hora no palco que J-Lo subiu com um top dourado-cintilante, calça prata, e (pasmem!) o microfone que ela empunhava também era cheio de  brilhos.

Quando demonstrava cansaço, J-Lo parava para conversar com a plateia, chegou a beber água em cena, pediu para um dançarino secar seu suor, e até “se jogou” no chão. Antes da 14ª canção, houve um band jam em que fizeram muita firula vocal e instrumental. Nessa hora, a cantora apresentou a banda, e foi se preparar para o quarto ato. Antes de “Let’s Get Loud”, Jennifer apareceu tocando um instrumento de percussão.

Como todo bom show pop, não poderia encerrar sem uma chuva de papel picado e fumaça para garantir a saída triunfal do palco. Ah, uma coisa: pela primeira vez, fui enganado em um bis. Assim como Britney Spears, Shakira, Bruno Mars não cantaram seus atuais singles em passagem pelo Brasil, achei que J-Lo tivesse esquecido de “Dance Again”. Mas, como já disse, ela voltou ao palco em um trono formado por dançarinos para ainda cantar, dançar, e exibir o namorado. Veja o vídeo:

Jennifer Lopez Setlist Pop Music Festival São Paulo 2012 2012

 

***

Hits emprestados

Entre as outras atrações da noite, estava Michel Teló, que no primeiro show da noite cantou músicas de seu repertório como “Ai Se eu Te Pego”, “Fugidinha” e “Humilde Residência”. O sertanejo também se arriscou em fazer um cover de “Panamericano”, de Yolanda Be Cool. Cobra Starship usou o mesmo recurso, quando Gabe Saporta e sua banda tocaram “Barbra Streisand”, do Duck Sauce, além é claro de abrir o show com o hit “Good Girls Gone Bad”, e encerrar a performance com “You Make Me Feel”.

Em sua estreia nas pick-ups, à 1h23 de domingo (24), Paris Hilton investiu em um setlist variado, que contou com músicas de Rihanna e David Guetta, passando por Fun., Gotye, e encerrou cerca de uma hora depois com “Wonderwall”, do Oasis. Em sua entrada, cantou por cima de seu novo single “Last Night”, parceria com o Afrojack, que ensinou a ela todos os macetes da discotecagem. Só tinha uma pergunta para fazer a ela: “Gata, como é que as músicas do seu DJ Set trocam sozinhas?”. Os vídeos do querido “Don’t Skip” rodaram o mundo, e foram parar até no site da NME.

Encerro com um pedido: Afrojack, me ensina a discotecar assim?

Talvez você também goste...

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *