Lexa quer parcerias com Alok e Dennis DJ após turnê internacional

Lexa pretende lançar algo mais concreto em termos musicais, como um EP ou álbum depois da turnê pela Europa e Estados Unidos, em maio. “Tenho muita vontade de gravar com o Dennis DJ e com Alok. São vontades que, se programar, vai dar certo”, garante a cantora de 24 anos.

Ela participou do episódio 84 do podcast Aos Cubos (disponível em todas as plataformas digitais), quando falou sobre seu novo dueto com MC Kekel na faixa “Amor Bandido”, que ganhou clipe dirigido por Os Primos (dupla de diretores formada por João Monteiro e Fernando Moraes, que já haviam dirigido “Só Depois…”), o estouro no Carnaval com três megahits e seu relacionamento com MC Guimê. Ela falou que está tentando equilibrar a vida de casada e o trabalho, mas ainda não está 50% balanceado. “Não quer dizer que meu relacionamento não esteja bem, está ótimo. Mas eu poderia ver mais… Tudo tem seu tempo, o meu agora é de trabalho”, pontua.   

Apesar da tour lá fora, Lexa ainda não vê alçando voos internacionais. “Agora estou muito focada no Brasil. Acho que tudo o que acontecer vai ser de uma forma mais orgânica. Eu jogo de forma muito limpa com o meu trabalho”. Na época do lançamento de “Disponível” (seu primeiro trabalho pela Som Livre), ela dizia que sua musa era Demi Lovato. “(Agora) acrescentaria a J-Lo também”, explica.  Anda escutando muito Lady Gaga, então ‘Shallow’ é sua preferida do mês. Versão forró? “Essa também é maravilhosa”, ri.  

Sobre o single “Amor Bandido” (uma versão Bonnie & Clyde dos tempos modernos), Lexa afirma que sempre quis gravar com Kekel (codinome de Keldson Rodrigues), que já era amigo de seu marido, Guimê. Ela própria é amiga da mulher do MC, Sabrina Lacerda, então essa aproximação foi natural. “Queria uma música que combinasse. Ele manda muito bem no funk, mais melody-pop. Essa música é meio que de R&B com uma veia de funk. Além de cantar que o bumbum desce e sobe, queria uma música que falasse de amor, de emoção, que me mostrasse mais como cantora – vocalmente falando”, resume ela, falando que a canção combina com as temperaturas mais frias, que se aproximam.

Entre as próximas metas está a de elevar cada vez mais o patamar de suas músicas, , estourar ainda mais e se apresentar em premiações. Ela credita o sucesso à música “Sapequinha”, apesar de vir se consolidando nos últimos anos. “Desde o lançamento do meu primeiro álbum, fui em vários programas de TV e fui me tornando popular. Mas depois de Sapequinha, as pessoas se identificaram ainda mais com a minha música. Então acho que ali foi o auge”, refor;a. Outro momento marcante foi sua sua participação no vespertino “Domingão do Faustão”, no domingo de Carnaval, na TV Globo. “Ali é um check-in, êêê (comemora), chegou lá. É uma realização pessoal enorme”.

Lexa teve três hits no topo das paradas durante o Carnaval: “Provocar” (com Gloria Groove), “Só Depois do Carnaval” e “Sapequinha”, que estão beirando os 100 milhões de plays nas plataformas de streaming. Essa trilogia foi lançada propositalmente, segundo ela, que fecha um ciclo e deu muito certo. “Eu queria levar essa alegria e identidade dentro de um projeto, então deu muito certo. Fico muito feliz porque analisei muito junto com a galera que trabalha comigo. Foi uma união de coisas”, analisa.

No entanto, ela quase deu adeus à folia, em março último, por causa de um golpe de uma produtora: o caminhão que desfilaria com o bloco Sapequinha no domingo pós-Carnaval, na capital paulista, não apareceu. No Stories do Instagram, Lexa comunicou seus fãs aos prantos. Como diz o clichê: há males que vêm para o bem. Na ocasião, Preta Gil e Anitta a convidaram para participar de suas respectivas folias – o primeiro, o famoso Bloco da Preta, no Ibirapuera; o outro, o Bloco das Poderosas, fechado para um público pagante no Espaço das Américas – para que ela não ficasse sem cantar. Foi ovacionada, em ambos.

Com as coisas dando certo, ela diz que se cobra e tenta planejar bem o que vai fazer. “Ultimamente, ando me ‘matando’. Até parece que sigo o que falo. Porque eu tenho trabalhado muito, estou sem ver meu marido há muito tempo e vou ficar sem vê-lo por quase três semanas”, diz a pisciana de 22 de fevereiro. “Comecei a entender que a gente tem que ser feliz junto… Tem uma hora que o trabalho cessa, você fecha a porta do quarto e está sozinho. É importante ressaltar os valores porque (senão) perde o timing das coisas. A vida é um sopro, passa e a gente nem vê”.

Com o Funk se aproximando cada vez mais do Pop, o gênero musical virou um produto tipo exportação. E Lexa fará essa “entrega” com shows em Dublin (10.05), na Irlanda, Londres (15.05), na Inglaterra, Porto (17.05) e Lisboa (18.05), em Portugal. Também haverá uma apresentação dela na segunda edição do “Rodeio Circuito Delícias de Minas”, em 26 de maio, em Newark, Nova Jersey, nos Estados Unidos, ao lado de Simone e Simaria e do funkeiro MC G15.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *