Lista: 13 músicas "assustadoras" para embalar o Halloween!

Feliz Dia das Bruxas (ou Halloween)! Ai, como somos americanizados, né? A gente foi atrás de músicas que tinham a ver com o tema pra montar uma lista e, em alguns casos, clipes que tivessem: corvos, fantasmas, lobos, gatos pretos, vampiros… E, claro, bruxas!

À seguir, clipes que nos ajudaram na escolha da playlist “Doce ou Travessura?”, disponível no Spotify.

[hr]

ANDRÉ ALOI
VICTOR ALBUQUERQUE, especial para o Aos Cubos

Se você foi um adolescente nos anos 2000, mesmo que não tenha pintado o olho de preto, vai conhecer: a banda frequentava assiduamente o Disk MTV. No álbum “The Black Parade”, My Chemical Romance flertaram com o tema da morte e os clipes traduziam bem esse “espírito”, como o de “Welcome To The Black Parade”.

Quem não se lembra de Madonna se transformando em uma revoada de corvos? Com um clima soturno e gótico, “Frozen” não poderia ficar de fora!

Enquanto algumas pessoas têm medo de monstros no armário, no de Shakira existe uma loba. Quem mais vestiria um colan cor da pele em uma jaula, remexendo os quadris para espantar seus medos?! (E no clipe nem pra aproveitar o Piqué!) Aúuuuuuu!

Já se imaginou em um encontro à beira-mar, deixar pegadas na areia com seu amor e blá blá blá? Então… Nesse clipe, de encontro romântico em drive-in a show do The Killers no deserto, a única certeza é: tudo vai virar osso (ou “Bones”).

Amy Lee, do Evanescence, queria estar morta por causa da fama em “Going Under”. Nem debaixo d’água (ou das 50 mil lágrimas que chorou) ela tem sossego. Ao menos, seus fãs-vampiros podem alegrá-la.

Originalmente gravada pelo The Smiths, essa versão faz lembrar das bruxas que marcaram uma geração. Depois de um dia cheio, tendo que derrotar um demônio e salvar um inocente (elas trabalhavam?), Prue, Piper e Phoebe – e depois Paige Matthews -, sempre saíam pra comemorar no P3 (o bar da irmã do meio), na série Charmed. Essa versão de “How Soon is Now?” é de Love Spit Love.

Espantalhos e bruxas habitam o imaginário das crianças, pelo menos habitaram o nosso em nossas infâncias. No vídeo de “Promises”, canção interpretada pelo timbre forte de Dolores (que espanta monstros e fantastamas), do The Cranberries, temos um híbrido de espantalho e bruxa em um clima de bang bang tempestuoso.

Nesse clipe, diferente do The Killers, o Friendly Fires mostra que dá pra se fantasiar de esqueleto, ser irreverente e ainda paquerar. A sugestão dele é fechar os olhos na pista de dança e esquecer aquele (a) que já foi ~alguém~!

Em uma casa mal-assombrada, o Blink 182 faz show pra ninguém. Tem fantasma vestida de noiva fugindo pelo quintal, túmulos no jardim, briga de aranhas e boas doses de nuvens de fumaça… Uma confusão só. E o clipe tem a participação de um gato da raça sphynx (aquele pelado). Ownnnnn!

Saudades Tarcísio Meira, Claudia Raia, Kayky Brito e uma penca de artistas esbanjando seus caninos saltitantes e capas pretas na tela da Globo. “Blue Moon”, de 2004, é uma remasterização do The Marcels e foi trilha de “O Beijo do Vampiro”, na trama das 19h.

Muito antes de “Macarena” estourar como a dancinha dos anos 90, “Day-o (Banana Boat Song)” tinha a melhor das coreografias em “Beetlejuice”, de Tim Bourton.

Em outro clássico de Tim, “This is Halloween” é a música que abre a animação “O Estranho Mundo de Jack”.

Por fim, “Thriller”, de Michael Jackson: a música, clipe, coreografia (tudo!) mais horripilantes que o cancioneiro pop já produziu. É um clássico – tanto como marco histórico por ter sido o clipe mais longo produzido até pouco tempo – quanto  enredo, a maquiagem… São 13 minutos de brilhantismo do eterno rei do pop

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *