Metronomy empolga Poploag Gig com show intimista em São Paulo

Fotos gentilmente cedidas por Ana Laura Ferraz 

DE SÃO PAULO
Estêvão Pessotta, especial para o Aos Cubos

A última vez que o Metronomy esteve em terras brasileiras foi no Festival Planeta Terra de 2009. E, na quarta-feira (31), o grupo passou por São Paulo – de três shows no Brasil – em meio à turnê de seu último álbum “The English Riviera”. Este ano, o show com caráter bem mais intimista que o do festival, sem ter que  dividir a atenção com outras bandas, aconteceu no Beco SP, no coração da Rua Augusta, na capital paulista. E se a capacidade era para 600 pessoas, com certeza, a sensação era que tinha muito mais gente que isso por lá.

A banda subiu ao palco à 00h45, e iniciou o setlist de forma bem suave, com “We Broke Free”, seguida de “Love Underline”. Mas, ao chegarem em “Back On The Motorway”, boa parte dos fãs já estava pulando. A banda era séria no palco, mas era visível a afinidade dos músicos “on stage”, pois tocaram com muito entusiasmo e a qualidade do som era bastante boa, apesar de o Beco não ter a melhor acústica da Augusta para shows.

O vocalista, Joseph Mount, era o único membro da banda a falar com os fãs, enquanto Oscar Cash, o tecladista extrovertido, era o único a se mexer um pouco mais. O baixista Gbenga Adelekan impressionou pro sua pose e charme – do início ao fim do show – e a baterista Anna Prior, a mais quieta do grupo, dava o encanto feminino à banda. A primeira vez que Joseph falou, agradeceu a presença do público, elogiou o espaço e a iluminação da casa. Falando em iluminação, vale notar as pequenas luzes que os membro da banda penduravam no pescoço. Além de pontuar com facho cada um deles, elas piscavam de diferentes formas no decorrer do show.

Seguiram com “Holiday” e a romântica “She Wants”, na seqüência “Heartbreaker” – uma das melhores composições da banda -, que ao vivo infelizmente não tem o típico barulhilho de porta rangendo. Tocaram o grande sucesso, “The Bay”, depois “You Could Easily Have Me” e “End of You Too”. Joseph explicou sobre a turnê de divulgação do último álbum da banda, disse que tinha chegado na própria quarta-feira (31) ao Brasil e que antes estava na Argentina. Nem os indies perdoaram e vaiaram nossos vizinhos, e Joseph riu com o público. Com certeza, a melhor música para se ouvir ao vivo foi “Corine”, bem mais carregada e empolgante que sua versão acústica. A sequência foi impressionante, “Thing for Me” e a mais famosa música deste último álbum, “The Look”, finalizando com “On Dancefloors”.

O vocalista disse que estava muito feliz por tocar em São Paulo, e que se ele tivesse de eleger o melhor público de seus shows – até então – os paulistas seriam facilmente os campeões. Meio sem graça, confessou que aquela seria a hora em que iriam para trás do palco descansar e aguardar pelos pedidos de bis, mas como o Beco SP não tinha “atrás do palco” finalizaram sem pausa com “Some Written”, e claro, a música que deu o grande destaque na carreira da banda,” Radio Ladio”. Do número 609 da Augusta, podia-se ouvir o coro “RA…DI…OOO LA…DI…OOO”.

***

Veja as fotos

Nota de rodapé

Se havia 600 pessoas lá, a metade estava vestida com camisa xadrez ou jaqueta de couro. E, ao contrário do funcionamento normal da casa (com cartão para consumação e pagamento ao final da festa), a bebida devia ser comprada através de um sistema de fichas: essa mudança veio depois de problemas que a casa teve com a saída do público em shows anteriores. Esse novo esquema gerou muita fila, mas não chegou a incomodar, pois duas bandas de abertura tocaram até a meia noite.

O show foi muito bom, a ótima sequência do setlist foi a mesma que a banda tocou nos últimos shows dessa turnê, a iluminação reformada e caprichada para o show não falhou mas para compensar a fila na hora de comprar a bebida, a saída foi bem tranquila. Aguardamos a próxima visita da banda britânica ao Brasil.

***

Confira o setlist

 

Talvez você também goste...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *