“Não sabia se iam achar que estava perdida”, diz Iza sobre pluralidade de novo álbum

Logo após o Rock in Rio 2017, quando subiu ao palco com Cee Lo Green, a cantora Iza viu sua carreira mudar drasticamente. Para o lado positivo, claro. Em poucas semanas, lançou o clipe de “Pesadão”, com Marcelo Falcão (O Rappa), e foi catapultada – em um caminho sem volta – ao estrelato. A cada passo, uma conquista. Recentemente, lançou o clipe de “Ginga”, com participação de Rincon Sapiência, e agora junta todas suas facetas no primeiro álbum “Dona de Mim” (lançado pela Warner Music). A cantora é a convidada do episódio 56, do podcast Aos Cubos, divulgado nesta quarta (09.05).

Ela confessa que estava preocupada em saber se as pessoas iam entender o som que ela estava fazendo porque ela visita vários estilos musicais, por mais que ele fique sob o guarda-chuva-pop. “Eu passo pelo Trap, Hip Hop, Rap, R&B, Blues, e aí são coisas diversas que eu não sabia que as pessoas iam achar se eu tava perdida ou tinha uma unicidade. Fiquei muito feliz com o feedback imediato, hoje é muito engraçado isso”. No dia seguinte ao lançamento do álbum, os fãs a enchem de carinho e já estavam cantando as músicas nos shows, comenta, feliz.

O disco, Iza fala, é fruto de uma caminhada desde muito longe, de auto-conhecimento, de pesquisa, de cuidado, daquilo que ela mais gosta de cantar. “O nome do álbum não é só porque minha música favorita é ‘Dona de Mim’, mas todas as músicas acabam falando sobre isso. O tema geral é esse por mais que os assuntos sejam diferentes, todas elas reafirmam isso”, reforça.

A cantora ainda brincou com os memes que caíram nas redes: de um lado, a faixa “Dona de Mim” (militando nas redes), do outro, “Toda Sua” (quando o boy manda mensagem). “Achei muito engraçado, amo esse meme. Quando a gente fez esse álbum, reuniu várias músicas, depois na hora de colocar na ordem, pensou: ‘que engraçado, será que a gente muda o nome?’ Mas estou achando isso muito divertido porque as pessoas pegaram e estão se divertindo com isso”.

Entre as participações do álbum, estão nomes como Ivete Sangalo, Thiaguinho, Gloria Groove, entre outros. “Cada música pedia uma pessoa. Antes de fazer ‘Corda Bamba’ e ‘Pesadão’, a gente já sabia que essas músicas seriam para Ivete e pro Falcão. Fez pensando neles. As outras, quando terminava a música, pensava: ‘para quem será que a gente vai mandar essa?’. Cada parceria foi escolhida a dedo e fico muito feliz de eles terem entrado na minha e estarem participando disso comigo”.

TEM MAIS
No Top ou Flop, André Aloi, Cairo Braga e Victor Albuquerque falam sobre o incêndio no Centro de São Paulo, estreia do “Prazer, Pabllo Vittar”, no Multishow, a volta do ABBA e muito mais. Quer dicas de séries e músicas? Atenta! Por fim, o pleonasmo “tour da excursão”… O que você lembra das viagens do tempo de escola? Play!

Vocês vão sentir uma mudança no áudio desse programa, pois estamos testando novos equipamentos. Comenta aí embaixo ou nas redes o que achou. No e-mail: podcast@aoscubos.compodcast@aoscubos.com

Talvez você também goste...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *