Paul Banks faz show solo em São Paulo e agrada fãs e "desavisados"

01

Texto e fotos de Ana Laura Leardini. Siga nosso tumblr e veja mais fotos logo após os shows.

Paul Banks apresentou seu trabalho solo ao público brasileiro nesta última quinta-feira, dia 14, no Cine Jóia. O show foi mais um resultado dos populares e bem sucedidos crowdfundings. Agora foi a vez do Club NME Brasil, Jack Daniels e a Playbook se unirem para trazer o show com a ajuda dos fãs. Mais conhecido como vocalista da banda Interpol, Banks tem se saído um prolífico artista solo, lançando dois álbuns e um EP entre os hiatos da banda. Apesar das turbulências e reestruturações que o Interpol vem sofrendo desde o último álbum (de 2010), Banks dá extensão ao seu trabalho na banda nova iorquina, agradando fãs ao se apropriar muito de sonoridades já conhecidas.

02

Bastava pouquíssima atenção para perceber que a casa estava abarrotada de fãs do Interpol, dos quais uma parte não parecia estar familiarizada com o seu trabalho solo. A divisão era clara e podia ser percebida nos olhares curiosos em contraste com o reduzido coro que acompanhava Banks em todas suas músicas. Indiferente à diversidade da plateia, Banks foi sempre muito aplaudido, respondendo aos fãs com alguns sorrisos e curtos agradecimentos que arriscou em português (um tanto quanto mais leve que o clima soturno que impregna o Interpol, tanto em estúdio quanto ao vivo).

03

04O setlist foi bem divido entre as composições de seus dois albums, “Julian Plenti is…Skyscraper”, de 2009 e “Banks”, de 2012, mas deixando completamente de lado o repertório do Interpol. Um dos pontos altos foi a releitura do clássico de Frank Sinatra, “Summertime is Coming”, que encerrou a primeira parte da apresentação em tom distinto para os familiarizados com o som do Interpol. Diferente da versão do EP “Julian Plenti lives”, aqui os arranjos acústicos foram substituídos por guitarras suaves, com Banks demonstrando mais uma vez a sua competência vocal que lembra tanto Ian Curtis, do Joy Division.

No bis, Banks voltou ao palco com ainda com força, entregando três das mais distintas canções de seu primeiro álbum. A tríade “Skyscraper”, “On the Splanade” e “Game For Days” encerrou a noite com um crescente de riffs e fortes batidas, o que com certeza deixou os fãs brasileiros ansiosos para um retorno; seja ele sozinho ou acompanhado por Interpol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *