Sob chuva, Paul McCartney faz show em tecla SAP em São Paulo

SITE_RG

Por André Aloi, especial para o Site RG (Fotos: Marcos Hermes/Divulgação)
O texto abaixo é uma r
eproduçãoveja a publicação original

[hr]

Paul McCartney se apresentou com tecla SAP (segundo programa de áudio) nesta terça-feira (25.11), no Allianz Parque, na zona oeste de São Paulo. O cantor se sentiu paulista e disparou frases em português enrolado, incluindo um “é nóis”. Foi o primeiro concerto, inaugurando o estádio do Palmeiras como arena de shows para um público (de todas as idades) de 45 mil pessoas, que assistiu à apresentação debaixo de chuva intermitente – ao menos quem estava nas pistas comum e premium.

O ex-Beatle subiu ao palco com 45 minutos de atraso, tocou por quase três horas (acabou à 00h25), disparou 39 músicas. Sentiu-se íntimo do público quando – por muitas vezes – falou em um português: “Oi São Paulo, boa noite, paulistas. Vou tentar falar um pouco de português. Mas meu inglês é bem maior (sic). É bom estar de volta”.

O show começou às 21h45 com “Eight Days a Week” e seguiu o mesmo script do Rio de Janeiro, mas isso não quer dizer que o roteiro foi chato. Pelo contrário: ganhou a plateia na terceira música, “All My Loving” – outra dos Beatles. Ofereceu “Maybe I’m Amazed” para a ex-mulher Linda (morta em 1998, vítima de câner), e disse: “pô, meu, aqui tá bombando. Valeu, São Paulo”. Reverenciou o amigo John Lennon com “Here today” e ofereceu “Something” para George Harrison – seus companheiros na primeira boyband da história.

Por diversas vezes, levantou a guitarra ao alto como se fosse um troféu, tocou piano, um deles de cauda. Subiu em uma plataforma para tocar “Blackbird” e arrancou gritos e aplausos do público, que pôde ver Paul por todos os ângulos do estádio. O momento apoteótico foi quando, em “Ob-La-Di, Ob-La-Da”, a pista premium foi tomada por balões coloridos. Ele gostou tanto, que – depois de encerrar – voltou a cantar mais um trecho da música.

Em “Let it Be”, uma legião de celulares foi colocado às alturas, acendendo milhares de pontos de luz na escuridão. Em “Live and Let Die” teve show pirotécnico e labaredas de fogo, mesclado a espetáculo de luzes e fumaças.

Voltou duas vezes para o bis. No primeiro, ergueu as bandeiras do Brasil e da Inglaterra, cantando “Day tripper”, “Hi hi hi” e “I Saw her Standing There”. Voltou para o momento final, com a chuva engrossando, para “Yesterday”, “Helter Skelter” e “Golden Slumbers/Carry That Weight/The End”. Terminou o show com chuva de papel picado em verde, amarelo e azul, pouco antes de 00h30, falando em voltar: “até a próxima, ok?”. Ele encerra a turnê “Out There”, nesta quarta-feira (26.11), no mesmo lugar.

Confira o setlist do primeiro show de Paul em São Paulo:
“Eight days a week”
“Save us”
“All my loving”
“Listen to what the man said”
“Let me roll it”
“Paperback writer”
“My valentine”
“1985″
“Long and winding road”
“Maybe I´m amazed”
“I´ve just seen a face”
“We can work it out”
“Another day”
“And I love her”
“Blackbird”
“Here today”
“New”
“Queenie eye”
“Lady Madonna”
“All together now”
“Lovely Rita”
“Everybody out there”
“Eleanor Rigby”
“Mr Kite”
“Something”
“Obla di Obla da”
“Band on the run”
“Back in the USSR”
“Let it be”
“Live and let die”
“Hey Jude”

BIS 1
“Day tripper”
“Hi hi hi”
“I saw her standing there”

BIS 2
“Yesterday”
“Helter Skelter”
“Golden Slumbers”

 

Talvez você também goste...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *