Especial Lollapalooza 2018 – Com participações de Didi Wagner e Sabrina Parlatore, podemos dizer: “nossa MTV está viva!”

O programa de número 51 é parecido com as coberturas de eventos que fizemos anteriormente, como no Rock in Rio em 2017. Durante os três dias de Lollapalooza (dias 23, 24 e 25 de março), André Aloi e Victor Albuquerque conversaram com quem passou pelo Lolla Lounge e a pirâmide de Doritos (outro camarote do evento). Abaixo, algumas das sonoras que fizemos e as fotos que tiramos no evento. Play!

Leia mais

André Whoong já fez loucura com Iggy Pop e Tiê ama Justin Bieber

Parceiros de vida e de música, André Whoong e Tiê são os convidados dessa semana no podcast. Ele fala sobre o novo disco, “Justo Agora”, lançado esta semana pelo selo Rosa Flamingo. Os dois, que cantam juntos “Me Queira Você” no trabalho dele, já estão preparando material para o quarto álbum de Tiê, cujo primeiro single deve ser lançado em março de 2017 e o disco (pela Warner), no fim de maio. Quem participou, por telefone, foi Flavio Juliano, pra falar da agenda de shows de seu duo FingerFingerrr.

efc0c08d-fea1-4eb1-b243-7554a2c548de_andrewhoongjustoagora

Por volta dos 18 minutos, Whoong relembrou um dia f*da em sua vida, no show do The Stooges, no Planeta Terra de 2009. “O Iggy Pop estava na minha direção, tentei me aproximar para dar um beijo, não conseguia. Ele estava com a calça meio aberta… pus a mão, e segurei o p*u dele, e fiquei gritando ‘seu filho da p…’. Foi muito divertido, não sei se conseguiria fazer isso hoje em dia”, lembra, dizendo que estava sóbrio e foi tomado pela energia do show.

img_9335A cantora disse que já ouviu essa história algumas vezes, mas sempre fica meio nervosa. “Tudo bem que ele é o Iggy, mas talvez ele não queria ir tão além. Só acho que, no dia, talvez não quisesse que alguém colocasse a mão no p… dele. Eu, como artista, acho que pode ser um pouco invasivo”, reflete a cantora. “Ele ir à grade não justifica, talvez permitiria que passasse a mão na barriga ou umbigo”.

Tiê afirma que detesta ter de responder se é mesmo fofinha nas entrevistas. Enquanto André pularia as perguntas sobre referências do CD, que acha sempre muito vago. “Vou começar a inventar. Sabe aquela banda dos anos 80, o Elephants and the Bees and the Moutains, da Áustria?”, ironiza ele. A cantora também não gosta de começar entrevistas do zero, quando tem de falar de onde vem seu nome e como começou. “Se você der um minigoogle, vai saber”.

img_9319Os dois mostram suas diferenças ao escolher coisas do tipo Disney ou Turma da Mônica, praia ou campo ou céu e mar. Tiê fala de sua fissura por listas e cadernos e sobre escrever a mão, uma vez que ela adora ter caderninhos (inclusive, ganhou um do Justin Bieber, artista pelo qual tem um “amor platônico”). “Quando você escreve, seu cérebro automaticamente memoriza mais, entende mais, aprofunda”, analisa.

A cantora falou que essa disputa de lipsync, que acontece na TV (alô RuPaul’s Drag Race, é algo muito “xófem” pra ela, que não conhecia o app Musical.ly. Sobre dublagem no meio musical, Tiê dispara: “Sempre aconteceu… fica questionando, mas vai lá dançar, rebolar e abrir o espacate e ainda cantar afinado”. Ela fala que segue bastante gente nas redes sociais… umas 1600 pessoas! Entre os perfis que indicaria, estão @watts.on, @theacademynewyork e @essediafoifoda

Tiê tem um talento escondido: cozinhar, algo que faz bem, e desemperrar zíper. “Vou na persistência, no jogo. Quando enroscar sua bolsa, eu desenrosco”, brinca ela, que vai abrir essa seção na Rosa Flamingo. Já Whoong adorou pintar tampa de vaso sanitário com paisagens. Até agora, ele pintou uma só… Veja o resultado!

Paisagem privada. Marrom também é tinta.

A photo posted by André Whoong (@andrewhoong) on

Eles ainda falam o que gostam na TV. Desenhos estão sempre em pauta por causa das filhas da cantora, Liz e Amora, mas novela entra no jogo de vez em quantos. Ela também gosta muito do programa “O Show do Renatinho”, no Multishow, com Tatá Werneck e asseclas de banda. Tiê denuncia: ele gosta de “Escola para Maridos”. “Ele até chora”, ri. “Eu assisti os três primeiros episódios. São uns caras bem machistas. É engraçado ver eles desabrochando, vendo que são muitos escrotos. Acabo me emocionando”, diz ele, que gosta de freakshows.

Leia mais

Os melhores shows para aproveitar a Virada Cultural de SP

Neste fim de semana (20 e 21) acontece a Virada Cultural de São Paulo. Das 18h do sábado às 18h de domingo a cidade recebe shows, peças, exposições, etc concentradas no centro e espalhadas em diversos locais, de Cidade Tiradentes a Pirituba. Além disso, os Sesc também vão se juntar à programação. Mas fique atento: ingressos para o sesc devem ser retirados à partir das 18h do sábado, em qualquer unidade.

Com tantas opções fica difícil saber o que ver: a gente quer se dividir em muitos e acompanhar a maratona de 24h sem descansar. Claro que assim fica impossível, mas dá pra escolher se a noite vai ser da virada ou vale mais a pena aproveitar o domingo, e pra ajudar o AosCubos preparou um guia com os shows imperdíveis dessa virada, além de diversos nomes que nós apostamos em grandes shows!

Faça suas escolhas e aproveite a Virada!

Mais informações e programação completa: http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/

 

Sábado – 20/06

Atrações Imperdíveis

18h Pedro Baby e Beto Lee – Palco Rio Branco

20h Cidadão Instigado – Sesc Pinheiros

21h Daniela Mercury e Márcia Castro – Palco Julio Prestes

21h Ana Cañas part. Marina Lima – Sesc Consolação

21h30 Karina Buhr canta Secos e Molhados – Sesc Belenzinho

23h Os Paralamas do Sucesso – Sesc Pinheiros

23h59 Lenine – Palco Julio Prestes

01h Chico César – Palco Barão de Limeira

01h Otto e Baby do Brasil – Sesc Consolação

01h30 Ira! – Sesc Belenzinho

04h Alceu Valença – Palco Republica (Arraial da Inezita)


Aposte!

19h A Fantastica Fábrica de Chocolates (1971) com trilha ao vivo de Trupe Chá de Boldo – Palco São Francisco

20h Dandara e Clandestino – Palco Anhangabaú/ Líbero

21h Bruna Caram – Sesc Ipiranga

23h Shanawaara – Palco Arouche X Duque de Caxias

23h Junio Barreto e Siba – Sesc Consolação

02h Rita Lee, o musical – Palco Princesa Isabel

04h Far From Alaska – Palco Rio Branco

 

Domingo (21/06)

Atrações Imperdíveis

07h Tom Zé – Palco Barão de Limeira

10h Erasmo Carlos – Palco São João

12h Nando Reis – Palco Julio Prestes

14h Tiê – Palco São Francisco

15h Emicida convida Martinho da Vila e João Donato – Palco Julio Prestes

16h Metá Metá – Palco Estação da Luz

18h Ira! Mudança de Comportamento (1985) – Theatro Municipal

18h Os Paralamas do Sucesso – Sesc Pinheiros

18h Caetano Veloso – Palco Julio Prestes


Aposte!

8h Tigre Dente de Sabre – Palco Estação da Luz

9h Curumin – Barão de Limeira

16h Anelis Assumpção – Palco São Francisco

17h O Terno  – Centro Cultural da Penha

17h Helio Flanders – Teatro Decio de Almeida Prado

18h Bruna Caram – Sesc Ipiranga

 

 

Leia mais

Com música na novela, Tiê brinca sobre fase: “Não vou virar a Anitta”

Tiê vive um momento novo em sua carreira. Depois de um EP e três CDs lançados, chegou a vez de ganhar um público maior. O clipe de sua música “A Noite (La Notte)”, parte do álbum “Esmeraldas” (2014), foi visto por mais de dois milhões e meio de pessoas no YouTube. Virou hit porque é o tema de Bruna Marquezine(Marizete) e Mauricio Destri (Benjamin), protagonistas da novela “I Love Paraisópolis”, da Rede Globo.

Ela acha graça desse sucesso todo. “Eu falo pro presidente (da Warner), Sérgio Affonso: eu não vou virar a Anitta. Não é nem o problema de usar shorts ou dançar. É que é outro tipo de música, os números são bem diferentes. O funk tem uma proporção muito grande”, brinca, falando que não vê problema nenhum em fazer parte da mesma gravadora que a funkeira carioca e sua outra companheira de selo, Ludmilla. “Não me coloque essa pressão. Até ia até adorar ser a próxima Anitta, fazer tudo isso de shows, mas acho difícil com o disco que tenho, é diferente mesmo. Adoraria se ela me chamasse pra um dueto”, diverte-se.

Tiê credita essa nova fase à força da TV aberta. “Tive sorte de a novela ir bem, de a Bruna ser uma gracinha e o personagem ser carismático”, acrescenta. A cantora que tem nome de passarinho e a atriz se conheceram nos bastidores do “Encontro”, também da emissora carioca. “Estava envergonhada, tocando no camarim pra cronometrar o tempo, ela entrou e falou: ‘você que é a Tiê’. Foi supersimpática, gentil, e falou que toda a produção sabe a música de cor, que quando eles se beijam (na trama), cantam à capela”, comemora.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Por causa do sucesso estrondoso, fez questão de visitar a comunidade que é retratada por Alcides NogueiraMario Teixeira no folhetim. “Adoro essa coisa de periferia, comunidade. Na visita (na sexta passada, 12.06) , fui na ONG que tinha contato, na rádio comunitária, na casa de pedra e almocei no restaurante do baiano. Fiz todo o circuito das artes, tirei foto com os bailarininhos e não conseguia voltar pra casa. Voltei de mototáxi”, explica, dizendo que foi uma das experiências mais loucas de sua vida. “Me senti um motoboy na cidade de São Paulo. Não é fácil essa vida porque os carros te odeiam e querem passar por cima de você”.

Prestes a sair em turnê de oito apresentações pelo Nordeste, no fim de julho e início de agosto, conta que adora fazer shows. “Não é todo artista que gosta. Passar som que é chato. Outro dia vi uma entrevista com o Renato Teixeira, que falou: eu só cobro pela passagem de som. Porque o show mesmo, eu faria de graça”, diz. “Adoro fazer show e olhar no olho do público, adoro dormir em hotel. Vivo bem em turnê”.

Quando não está na estrada ou em estúdio, se dedica à sua produtora Rosa Flamingo. Sem pensar em disco novo por ora, está debruçada no lançamento do CD de estreia de seu companheiro nas composições de “Esmeraldas”,André Whoong, que acontecerá em setembro. “Não dá pra separar a vida pessoal do trabalho. Aqui, pessoas física e jurídica são a mesma coisa”, ri. Ela menciona que além do CD de rock-canção do parceiro, tem ouvido bastante Justice pra dançar, Metronomy, Philip Glass e várias músicas infantis por causa das filhas Liz (5) eAmora (2). “Ando numa fase pouco MPBística”.

Por falar nas pequenas, depois de alguns shows infantis, nos idos de 2013, a paulista diz que pensa em gravar um projeto infantil com a filha mais velha. “Ela já tem vários começos de música, desenvolve bem as letras. Eu brinco que ela é meu Emicida porque vai fazendo umas rimas e repentes. Não vai ser um projeto para criança, mas com criança”, reforça. Mas isso deve acontecer só depois que terminar a divulgação de seu mais recente álbum, que em breve ganhará o clipe de “Isqueiro Azul”.

A cantora se apresenta na FNAC Pinheiros nesta quarta (17.06), no sábado (20.06) na Virada Cultural, às 14h, no palco do Largo São Francisco. No dia 26, faz show em Ilhamela, 29.06 participa de uma seminário no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo. E, no dia 30, faz uma ponta no show de Jesse Harris no Bourbon Street, também em São Paulo.

VERSÃO BRASILEIRA
Quando gravou a música “A Noite”, versão de “La Notte”, da Arisa, Tiê não sabia que teria essa repercussão, apesar de saber de seu potencial. “Conheci essa música sendo número 1 na Itália. É uma versão. Quando falei aqui: gente, e se eu fizer a minha letra, trouxer para o meu ambiente, pro meu universo?”, indagou. “A gente teve contato com o autor, pedi permissão pra fazer a minha letra ele autorizou. Foi uma experiência interessante de pegar a música de alguém e por sua letra. O resultado foi excelente porque é uma música chiclete e as pessoas se emocionam”.

Leia mais

14 discos nacionais de 2014 pra ouvir em 2015

collage

2014 acabou e é inevitável se perguntar: “o que esse ano trouxe de bom pra mim?”. Bom, 2014 trouxe discos inesquecíveis que irão me acompanhar por muito tempo. Aqui, listo aqueles que mais me marcaram durante o ano. Ouça, compartilhe, e dê uma chance pra música brasileira conquistar você!

Leia mais